Uma pequena igreja Episcopal que acolhe refugiados chega aos cinemas nos Estados Unidos

A história real de como um grupo de refugiados de Burma ajudou a salvar uma igreja Episcopal do estado norte-americano do Tennessee se tornou em um filme. Distribuído pela Sony Pictures, “All Saints” estará nos cinemas da América do Norte e também será distribuído internacionalmente.

A Diocese do Tennessee explica que o filme “All Saints” é “um relato ficcional de como a congregação de All Saints em Smyrna estava muito próxima de fechar suas portas alguns anos atrás, até que um grupo de refugiados de Burma (Myanmar) foi até ao pároco e perguntou se eles poderiam participar da igreja. Os Karen são um grupo muito unido de pessoas que encontraram a Cristo por meio da Igreja Anglicana em Burma antes de sua mudança aos Estados Unidos”.

“A medida que mais e mais Karen se uniam à congregação de All Saints, ficou claro que o Espírito Santo estava trabalhando… de maneira grandiosa. Serviços de saúde necessários, cultivo na terra da igreja, a venda de produtos da terra cultivada para gerar renda, e mais atividades se abriram aos novos membros com uma vívida experiência do que o sonho americano se parecia dentro de uma família próxima da igreja”.

A diocese acrescentou que “muitos personagens do filme hoje são reconhecidos membros da congregação. A história tocante não é remota ou imaginária, mas uma vivida bem aqui dentro de nossa diocese”.

O título do filme, “All Saints”, é uma homenagem à paróquia que está no centro desta “notável história verdadeira”, mas “há espaço para que o título se refira às muitas boas pessoas que respiraram vida nesta igreja que estava prevista para encerrar suas atividades”, afirmou o Fundo Mundial de Socorro e Desenvolvimento do Primaz da Igreja Anglicana do Canadá (Anglican Church of Canada’s Primate’s World Relief and Development Fund – PWRDF), que patrocinou pré-estreias do filme no Canadá.

A história começa com o antigo vendedor de carros usados que se tornou reverendo episcopal, Michael Spurlock, que no filme é interpretado por John Corbett, que chega na All Saints com a missão de prepará-la para seu fechamento. Mas quando ele encontra a forte congregação de 12 pessoas, ele se questiona se fechar a igreja é para o que Deus o está chamando a fazer.

Então chega Ye Win, o líder do grupo de refugiados do Estado de Karen em Burma, agora Myanmar, que aparece na igreja pedindo por ajuda. Win, interpretado por Nelson Lee, explica que o grupo é de anglicanos. Como ex-colônia britânica, as pessoas de Burma aprenderam sobre Jesus Cristo, explicou ele. E enquanto Ye Win e seus companheiros refugiados se escondiam na floresta ou eram desperdiçados no campo de refugiados, seu único conforto era a cabana da igreja, onde sentavam em sacos de arroz, orando e lendo as escrituras.
Win pergunta a Spurlock se o grupo poderia cultivar nas terras da All Saints, e o que acontece depois é explorado no filme.

“All Saints nos lembra mais de uma vez que mesmo quando nos sentimos mais solitários, nós somos parte de uma comunidade”, disse a PWRDF. “Nós precisamos chegar e pedir por ajuda. Algumas vezes nós precisamos sair de nosso próprio caminho e deixar outros chegarem. Também é um exemplo poderoso de como Deus nos chama a acolher o estranho, enquanto os refugiados e pessoas deslocadas atravessam nossas fronteiras todos os dias”.

Escrito por Steve Armour e dirigido por Steve Gomer, All Saints é estrelado por Cara Buono, John Corbett, Barry Corbin, David Keith, Gregory Alan Williams e Patrick Johnson. Foi produzido pela Affirm Films e distribuído pela Sony Pictures International.

Publicado em 17/08/2017 no site Anglican Communion News Service.