Celebrações pelo Sudão se tornar na 39ª Província da Comunhão Anglicana

O Arcebispo de Cantuária, Justin Welby, apresenta o primeiro Arcebispo da nova Província Anglicana do Sudão, Ezekiel Kondo, com a Cruz Primacial, durante a celebração na Catedral de Todos os Santos em Cartum (30/07/2017). Foto: ACNS

Centenas de fiéis se uniram a ilustres convidados de todo o mundo na Catedral de Todos os Santos em Cartum no domingo (30/07/2017) enquanto o Sudão era consagrado como a mais nova província da Comunhão Anglicana. Foi uma manhã de alegria e celebração: bandeiras eram acenadas, uma banda marcial liderava a procissão do clero pelas ruas até a Catedral, mulheres da Mothers’ Union aplaudiam e dançavam – tudo isto com temperaturas acima de 40°. O Primaz da nova Província, Arcebispo Ezekiel Kondo – que foi instalado como arcebispo na celebração – estava emocionado pela ocasião.

“Estou tão animado”, disse. “Estou agradecido por todos que estavam aqui… Agora nós precisamos que as pessoas do mundo continuem a orar por nós”.

Ele também agradeceu o governo sudanês e disse que foi significativa a presença de representantes, inclusive de um ministro.

O Arcebispo de Cantuária, Justin Welby, presidiu a cerimônia e apresentou o Arcebispo Ezekiel com a cruz primacial para marcar a ocasião. Ele disse que o nascimento de uma província nova era um evento “raro e precioso”.

“Ser convidado para pregar aqui nesta manhã é um privilégio pelo qual eu nunca teria sonhado”, disse. “Agradeço a Província do Sudão por esta honra de estar aqui em seu nascimento. Como todos os nascimentos, ele vem com responsabilidades – é para os cristãos fazerem esta província funcionar e para os que estão fora para servir, orar, e amar esta nova província”.

O Arcebispo Justin disse que a igreja no Sudão conheceu tristezas assim como alegrias. Agora há muitas oportunidades e muitos desafios.

“Há terra, há igrejas, há um povo maravilhoso. A igreja precisa aprender a ser sustentável financeiramente, a desenvolver as habilidades de seu povo e abençoar este país, assim como os cristãos aqui já fazem”.

O Sudão é predominantemente muçulmano, mas tem cerca de um milhão de cristãos. O Arcebispo Justin falou sobre ver os cristãos e muçulmanos “coexistindo poderosa e efetivamente” quando ele visitou a diocese do sul de Kadugli no sábado. Tal coexistência tolerante precisa de liberdade, ele disse.

“Minhas orações para o Sudão são para que haja liberdade continuamente para que os cristãos possam viver com confiança, abençoando seu país. Quão mais livres forem, mais bênçãos haverá para o Sudão”, disse.

O Arcebispo elogiou o governo de Cartum pela acolhida de refugiados do conflito no Sudão do Sul e o agradeceu pelo envio de representantes para a celebração.

“Nenhum governo de qualquer lugar do mundo precisa ter medo dos cristãos”, lhes disse.
Abu Bakr Osman, o Ministro de Orientação e Fundamento Religioso, disse que ele estava “repleto de alegria” na ocasião. Ele disse que havia o sentimento de união do país e que viver em harmonia e união seria uma fonte de força.

O Sudão era uma província interna da Igreja Episcopal do Sudão do Sul e Sudão, que agora será conhecida como Igreja Episcopal do Sudão do Sul (ECSS). O Arcebispo Justin homenageou o Primaz da ECSS, Arcebispo Daniel Deng, por sua sabedoria e liderança nos preparativos para a inauguração.

“Ele é o parteiro desta [nova] província, que encorajou e fortaleceu ao ponto que agora nós alcançamos”.

Em resposta, o Arcebispo Daniel instou o Arcebispo Ezekiel a “manter a luz acesa em todo o Sudão”.

“A Igreja está lhe comissionando a ser a luz e esperança para o país”, disse. “Nós estamos agora lhe confiando o povo do Sudão em suas mãos”.

A última província a se unir à Comunhão Anglicana foi Hong Kong em 1998. Seu primaz, Arcebispo Paul Kwong – que também é presidente do Conselho Consultivo Anglicano (ACC) – estava entre aqueles reunidos na Catedral. Ele disse estar encantado por estar lá.

“Este é um momento significativo e emocionante na história de nossa Comunhão Anglicana”, disse. “É um grande privilégio estar aqui no Sudão como presidente do ACC enquanto acolhemos esta nova província em nossa ‘família’. Envio meus sinceros parabéns para a Igreja do Sudão nesta ocasião histórica. Este é um momento de celebração, encorajamento e esperança, não apenas para os anglicanos daqui, mas de todo o mundo. Estou ansioso por andar de perto com a província, enquanto ela serve a Cristo e busca proclamar Suas palavras”.

O Secretário-geral da Comunhão Anglicana, Arcebispo Josiah Idowu-Fearon, também estava presente na inauguração. Em uma saudação pessoal ao Arcebispo Ezekiel, ele falou de sua alegria e esperança em tal importante situação.

“Sua paixão por Cristo, pela missão, e pela paz, é muito humilde”, disse. “O povo do Sudão sofreu bastante os efeitos de um conflito amargo e de uma pobreza terrível. É neste clima que vocês responderam ao chamado de construir Sua Igreja. Nossa mensagem para vocês é que vocês não estão sozinhos. Vocês são parte preciosa de uma família especial. Nossos irmãos e irmãs por toda a Comunhão orarão por vocês hoje e no futuro, enquanto vocês crescem no amor de Cristo. Espero ansiosamente pela contribuição valorosa que vocês farão a esta família especial”.

A celebração também escutou saudações de vários bispos e clérigos de todo o mundo, incluindo Uganda e Cingapura. Dentre os oradores estava o Bispo do Egito, Mouneer Anis; o Secretário do Conselho de Províncias Anglicanas na África (CAPA), Cônego Grace Kaiso; o Bispo de Leeds, Nick Baines; e representantes da Igreja Luterana, Conselho Mundial de Igrejas, e do Conselho de Igrejas do Sudão do Sul. Os convidados incluíam representantes de agências de missão anglicanas, inclusive a Mothers’ Union, CMS, USPG e a Associação de Igrejas do Sudão.

A celebração marcou o fim de um processo que teve início no ano passado. Após o Sudão do Sul ganhar a independência em 2011, o Primaz enfrentou o desafio de supervisionar dioceses em dois países a partir da capital do Sudão do Sul, Juba. Em 2016, o Sudão fez um requerimento formal ao ACC para se tornar uma província separada. Pouco tempo depois, o Secretário-geral liderou um grupo em uma viagem para recolher informações para estabelecer se a nova província seria financeiramente viável e se existia um número suficiente de pessoal e trabalhadores leigos. O grupo também examinou o foco da missão. Naquela época, o Secretário-geral disse estar impressionado pelo que vira, e descreveu a espiritualidade do povo como “contagiante”. Seu grupo recomendou que a requisição fosse aprovada, e então o ACC deu seu apoio.

A presença angicana no Sudão existe desde que a primeira missão foi estabelecida em Omdurman em 1899 pela Church Mission Society. Com o passar dos anos, o Sudão ficou sob a supervisão dos Arcebispos de Cantuária e Jerusalém. A nova província tem cinco dioceses.
O Arcebispo de Cantuária espera conhecer líderes religiosos e governamentais durante sua viagem antes de ir para o norte de Uganda para ver os campos de refugiados de sudaneses do sul. Uganda tem recebido cerca de um milhão de pessoas que fugiram através da fronteira para fugir dos combates no Sudão do Sul. Ele visitará os campos com o Primaz de Uganda, Arcebispo Stanley Ntagli.

Publicado em 31/07/2017 no site Anglican Communion News Service.