Mulheres anglicanas defenderão o empoderamento econômico em Comissão da ONU

Mulheres de mais de 20 países ao redor da Comunhão Anglicana estarão nas Nações Unidas em Nova York, EUA, no próximo mês para pressionarem por um maior empoderamento econômico para as mulheres em todo o mundo.

Delegações da Comunhão Anglicana e da Mothers’ Union (União de Mães é uma Organização de caridade cristã fundada por Mary Sumner em 1876 no Reino Unido – N.doT.) participarão da 61ª sessão da Comissão das Nações Unidas sobre o Status da Mulher (UNCSW). Também participarão 20 delegadas da Igreja Episcopal dos EUA. Representantes dos países-membros, de várias entidades da ONU, de organizações não governamentais (ONGs) e de grupos religiosos participarão da sessão, que ocorrerá de 13 a 24 de março. A Mothers’ Union tem status consultivo no Conselho Econômico e Social das Nações Unidas, e participa anualmente da UNCSW.

O tema prioritário é “O empoderamento econômico das mulheres está transformando o mundo do trabalho”. A sessão observará temas como a promoção da igualdade, criação de acesso à educação para mulheres e o melhoramento do acesso das mulheres ao local de trabalho. Um projeto de documento, conhecido como Conclusões Aprovadas já foi produzido, mas as delegações buscarão influenciar seu conteúdo final.

Para tanto, as delegadas anglicanas terão a oportunidade de participar de algumas das discussões da Comissão e de outros eventos realizados paralelamente por ONGs. Elas também serão encorajadas a conhecerem e a fazerem pressão nas missões de seus próprios países na ONU.

Rachel Chardon, Diretora Administrativa e de Programas Gerais da Comunhão Anglicana na ONU, diz que isto é um papel particularmente importante.

“Nossos esforços incluem marcar encontros com missões individuais, pois esta é uma oportunidade maravilhosa para o ativismo. É uma chance para que elas possam encontrar os representantes de seus próprios países e defenderem sua posição. Cada uma de nossas delegadas vêm com um ponto de vista único do contexto de seus países, e cada uma tem algo valioso a trazer”.

A Diretora para Mulheres na Igreja e Sociedade da Comunhão Anglicana, Revda. Terrie Robinson, estará presente na CSW61. Ela informa que muito do trabalho das delegadas é feito fora da ONU.

“É uma grande chance para que as mulheres de todo o mundo se encontrem, façam contatos e compartilhem suas experiências. Algumas participaram da Comissão anteriormente, mas outras participarão pela primeira vez. Cada uma tem um papel importante a desempenhar. E este papel continuará quando voltarem para casa levando suas ideias e recursos e compartilharem o que viram e aprenderam – e também continuando o trabalho de defesa da causa”.

Um dos eventos que acontecerá paralelamente será a apresentação de Harriet Baka Nathan e Joy Kwaje Eluzasi do Sudão do Sul. Elas falarão em 14 de março sobre o tema “Sudão do Sul: Mulheres de fé construindo a paz e o empoderamento econômico”. No dia seguinte haverá a oportunidade de se escutar Fereshteh Forough. Ela é a fundadora e diretora executiva do ‘Code to Inspire’, uma organização sem fins lucrativos comprometida em educar meninas no Afeganistão e em melhorar sua alfabetização técnica.

As delegadas da Comunhão Anglicana são apoiadas durante o evento pelo Escritório da Comunhão Anglicana nas Nações Unidas.

A sessão deste ano da Comissão das Nações Unidas sobre o Status da Mulher também revisará o tema da UNCSW58, que focou nos desafios e realizações da implementação dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio para mulheres e garotas. Também haverá uma discussão sobre um assunto ‘emergente’ – o empoderamento de mulheres indígenas.

http://www.mothersunion.org/supporting-family-life/campaigning/worldwide/mu-uncsw

Publicado em 22/02/2017 no site Anglican Communion News Service.