Moderador da Igreja do Sul da Índia encoraja os cristãos a um “jejum de carbono” para a Quaresma

Carta do Revmo. Thomas K Oommen, Moderador, Igreja do Sul da Índia

Caros irmãos e irmãs,

Considero um privilégio e honra poder escrever a vocês como moderador da Igreja do Sul da Índia (CSI) antes da chegada da quadra da Quaresma. Os quarenta dias da Quaresma são frenquentemente entendidos como correspondentes aos quarenta dias que Jesus passou no deserto, jejuando e orando, antes de começar seu ministério público. Como todos nós sabemos, ao seguir Seus 40 dias de jejum, Jesus foi tentado e desafiado por Satã, com o objetivo de derrotar Sua própria finalidade de advento, que Jesus superou. Portanto, as igrejas em todo o mundo observam estes dias da Quaresma como uma época para refletir o propósito de Deus em nossas vidas, assim como para arrepender-se, abster-se e reorientar nossas vidas para alcançar a vontade de Deus. Muitos usam isso como uma ocasião para desistir de certos hábitos ou jejuar do café, carne ou chocolates. Enquanto continuamos estes rituais, eu desafio todos vocês a darem mais um passo e mais profundo ao iniciarem o “jejum de carbono”, para reduzirmos as ações que prejudicam a criação de Deus.

O dióxido de carbono ou CO² produzido pelas atividades humanas estão causando o aquecimento global, que, por sua vez, está causando as mudanças climáticas. Na Índia, estamos cientes das mudanças climáticas pois nossas temperaturas estão mais quentes, com variações entre inundações e secas, e o aumento do nível do mar. Temperaturas mais quentes e o aumento do nível do mar não são coisas desejáveis pois elas têm impactos negativos na agricultura, pesca, desenvolvimento comunitário, plantas e animais que são importantes para nossos ecossistemas e protegem nosso litoral. Estes desafios podem afetar nossa qualidade de vida e ameaçam a sobrevivência do mundo natural. Adicionalmente, outras ações não amigáveis ao meio ambiente (ex. lixo, derrubada de árvores) fazem que o impacto no clima se torne bem pior.

A Bíblia nos clama “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura”. Como proclamaremos as boas-novas a toda criação quando não houver água para beber? Segundo previsões científicas, em 2070 um ser humano terá apenas dois copos de água para beber por dia. Em 2035, os rios Ganges, Bramaputra e Indo desaparecerão. Sim, as mudanças climáticas afetarão toda a criação de Deus. Uma onda de calor escorchante na Índia matou mais de 1.500 pessoas em 2015, quando as temperaturas superaram 47 °C. Os estados do Sul de Andhra Pradesh e Telangana foram as regiões mais afetadas, com mais de 1.100 mortes, causadas principalmente pela extrema desidratação e insolação. A situação no norte da Índia não é muito diferente, com Kanpur, no estado de Utar Pradesh registrando um recorde de temperatura máxima com 47 °C. Em 2016, trezentos e trinta milhões de pessoas, mais de um quarto da população da Índia, foi afetada pela seca. Toda a criação tem murmurado por água devido a desertificação, que é um processo irreversível. A migração dos pobres e animais selvagens agora é comum.

Um jejum de carbono é um desafio para nós observarmos nossas atitudes diárias e refletirmos como elas impactam no meio ambiente. Nos desafia a tomarmos pequenos passos – alguns dos quais reduzirão nossa produção de dióxido de carbono enquanto outros ajudarão o ambiente – por um mundo mais sustentável. No processo, talvez descobriremos um relacionamento diferente com Deus, com sua Criação e uns com os outros. A maior parte das congregações da CSI pertencem a comunidades vulneráveis às mudanças climáticas. Nós criamos consciência com a “justiça climática” no nível congregacional nessas dioceses. Adicionalmente, a reler a Bíblia e reafirmar nossa fé na perspectiva de refugiados climáticos. Nós inspiramos as congregações a discernirem a justiça climática como parte integral do atual testemunho público das igrejas. Esperamos que as congregações estejam equipadas para se envolverem na salvação da criação cuja vida e subsistência esteja sob ameaça.

Como realizo um jejum de carbono? Deixe que os 40 dias entre a Quarta-feira de Cinzas e o Domingo de Páscoa sejam uma época de arrependimento, reflexão e ação. Cada semana teremos um tema para oração e ação diários.

Recomendo a criação de pequenos grupos dentro de sua igreja para que se encontrem uma vez por semana após as celebrações para conversarem e tomarem medidas. O jejum de carbono providenciará uma miríade de maneiras que sua congregação possa se envolver no aperfeiçoamento da justiça climática. Estes caminhos variam de questões de grupos de discussão aos passos que sua igreja pode tomar para economizar energia. Dentre uma variada gama de atividades, não haverá falta de possibilidades que combinem a iniciativa e o interesse de sua congregação. Mesmo que não seja possível formar um grupo em sua igreja para o Jejum de Carbono, as ações sugeridas para as igrejas foram preparadas com passos que você pode tomar pessoalmente em sua congregação e completar em qualquer comunidade durante a Quaresma e além.

Junte-se ao Jejum de Carbono, pois você pode mudar um pouco o mundo nestes 40 dias, mas, mais importante, você pode mudar bastante a si mesmo! Como realizo um jejum de carbono? Leia o verso diário, considere a mudança, ore, e então, quando possível, realize o desafio do dia ou se comprometa a realizá-lo posteriormente.

Da Quarta-feira de Cinzas até o domingo da mesma semana estaremos nos preparando para o jejum vindouro ao pensarmos sobre aquilo que forma o nosso meio ambiente – o ar, os mares e oceanos, a terra, plantas e animais, os seres humanos. Nós estimamos o valor de todas as coisas que foram criadas? Leia a história da Criação, Gênesis 1:1-31. Reflita na completude da criação. Neste domingo e nos domingos durante a Quaresma, separe um tempo para refletir e meditar. Olha para o ano que passou e como você usou os seus domingos: quanto combustível você usou? Quanto você gastou? Nossas vidas refletem o chamado à administração e uso responsável e proteção do ambiente natural? Reflita como você tratou o meio ambiente. Comprometa-se a domingos mais simples durante a Quaresma – passando o tempo com amigos e a família, alimentação simples, menos viagens, aproveitando a criação de Deus. Ore a Deus pedindo a ele por discernimento, sabedoria e coragem para realizar as tarefas vindouras enquanto continuamos pelas estradas menos caminhadas. Senhor misericordioso, enquanto jejuamos do carbono, lamentamos a destruição de muito de sua criação. Que tomemos o desafio de trilhar as veredas menos caminhadas, restaurando mais do que destruindo sua criação. Ajude-nos a agir com amor e cuidado para tudo que tenhas criado.

Semana 1. O desafio desta semana é simplificar nossas vidas em termos de coisas que possuímos e adquirimos e como as descartamos. Coloquem suas faces contra a onda de consumismo e pregue ao mundo pela simplicidade de nossas vidas. O aumento do consumo leva a maiores emissões de dióxido de carbono e outros gases que contribuem ao aquecimento global. A Quaresma é uma boa época para eliminar itens desnecessários, viver levemente e compartilhar com outros em necessidade. Identifique algumas coisas a desfazer para que outros possam usar e encontre algum lugar para doar. Nosso meio ambiente está sofrendo pois o lixo que produzimos não é propriamente descartado.

Quando o meio ambiente é degradado, o impacto das tempestades e eventos extremos se tornam piores, e então podemos nos comprometer a:

  • reduzir a quantidade de lixo que produzimos;
  • sermos bons vizinhos e bons administradores do meio ambiente ao não queimar o lixo, ao embalar o lixo adequadamente e a não jogar dejetos em ravinas, rios ou mar.

Semana 2. Alimentos e florestas

Nesta semana o foco estará na importância das árvores e florestas e de como a produção de nossos alimentos pode afetar a emissão de gases-estufa. A Igreja no Sul da Índia, com 4,5 milhões de seguidores, é a única Igreja na Índia que tomou um firme posicionamento em favor do relatório do comitê Gadgil para a proteção da biodiversidade em um trecho de 1.600 km do Gates Ocidental. Plantar mudas e nutrir é um trabalho espiritual. Em algumas dioceses, após o casamento, a primeira tarefa que os casais realizam é plantar uma muda no terreno da Igreja. Há congregações que dão as boas vindas aos visitantes convidados que frequentam suas reuniões entregando uma muda ou uma planta florida. Tal prática saudável vale ser copiada.

As florestas são a principal fonte de oxigênio na atmosfera. As árvores removem diretamente o dióxido de carbono e o armazena na madeira e folhagem. As árvores plantadas próximas de prédios reduzem a demanda por ar-condicionado e produção de energia elétrica. Ao se plantar uma árvore, você pode ajudar a reduzir emissões. Você pode plantar árvores frutíferas em sua igreja, comunidade ou escola, durante a Quaresma, ou se comprometer a plantar uma árvore durante a estação chuvosa.

Produzir alimentos orgânicos em uma plantação no quintal resultará em uma menor emissão de gases de efeito estufa. A plantação orgânica prende CO² no solo ao confiar em métodos naturais para o aumento da fertilidade do solo. Considere começar um jardim em seu quintal usando material orgânico. Simultaneamente, considere apoiar produtores locais durante a Quaresma que usem métodos naturais para produzir sua comida.

Semana 3. Energia e transporte

As ações desta semana buscam reduzir a energia utilizada para iluminação, energia e transporte. Reduzir seu uso = reduzir emissões. Uma maneira de reduzir as emissões é simplesmente economizar eletricidade. Toda vez que você desligar ou não usar eletricidade, menos combustíveis fósseis serão queimados. O combustível utilizado no transporte também é um dos maiores contribuidores para o aquecimento global.

A CSI está promovendo painéis de absorção solar para gerar eletricidade em todas as instituições de propriedade da CSI. A CSI promove o uso da energia solar sempre que possível. O departamento ecológico do sínodo da CSI está dando dinheiro para instituições selecionadas para que mudem para a energia solar. Há muitas maneiras simples de economizar energia, economizar dinheiro e reduzir as emissões. Considere desconectar o carregador da tomada quando o telefone estiver carregado. Conecte a TV e outros aparelhos a um filtro de linha e desligue-os de noite. Quando você comprar aparelhos elétricos, selecione apenas aparelhos eficientes. Encontre outras dicas de economia de energia e compartilhe com seus amigos. Repare que os veículos automotores descalibrados usam mais energia e soltam mais emissões. Eles também poluem mais o ar e contribuem com problemas de saúde e outros. Tenha certeza que seu motor balanceado e seus pneus estão adequadamente inflados. Isto ajudará a termos um ar mais limpo para todos.

Semana 4. Conservação de água

Diz-se que a maior parte das guerras do século XX foram motivadas pelo petróleo e no século XXI elas ocorrerão pela água. Na Índia, não apenas as pessoas inocentes e pobres, mas também toda a natureza, flora e fauna, estão ecoando as palavras de Jesus, “tenho sede”. Isto se deve à escassez de água, consequência das mudanças climáticas. Nos esquecemos que a água é uma bênção divina a ser preservada, a ser compartilhada com toda a criação, a ser protegida para as gerações futuras.

O dia mundial da água é comemorado anualmente em 22 de março. O tema deste ano de 2017 é “desperdício de água”. Aumente a conscientização do Dia Mundial da Água. Há muitas maneiras simples de se conservar água. Encontre dicas de como economizar água e compartilhe com seus amigos. Reduza ou elimine seu consumo de água engarrafada. Ferva ou trate sua água, use garrafas reutilizáveis e complete-as. Desligue a água quando estiver escovando os dentes. Se permitirmos que a água escorra por apenas dois minutos ou menos, podemos economizar até 260 litros por semana! Se você tem crianças, ensine-as a fazer isto. Corrija vazamentos de torneiras, casas, banheiros. Estudos globais mostram que cerca de 10% da água utilizada em casas são gastos por causa de vazamentos. Um vazamento de apenas uma gota por segundo desperdiça 9.000 litros por ano!

A CSI promove a escavação de poços em todas as terras de nossas igrejas e nossas instituições para captar água de chuva. Devido a mudanças climáticas, a escassez de água é uma questão séria. A CSI promove a captação para mitigar a escassez de água. Se você quiser recarregar a água do solo, treine a “corrida” da água de chuva a “caminhar”, a água “caminhante” a “engatinhar”, e a água que “engatinha” a “parar”. Não deixe que a água da chuva que cai no telhado de nossas igrejas/instituições e campos simplesmente vá embora.

Semana 5. Reduzir, reutilizar, reciclar os dejetos

O desafio desta semana é diminuir o lixo. Alguns materiais como o plástico e o poliestireno demoram centenas de anos para decompor e alguns como o isopor não são facilmente recicláveis. Há várias maneiras de diminuir o lixo. Reciclar o papel ao se usar os dois lados do papel não apenas economizará dinheiro, mas também reduzirá o desperdício que irá para o aterro. Considere não utilizar isopor e use uma vasilha para o seu lanche. Use pratos de papel ou vidro para as reuniões durante a Quaresma. De quantas maneiras você pode usar uma sacola plástica? Depois de você trazê-la da loja, o que acontece com ela? Pense em maneiras de reutilizar as “sacolas das lojas”. Você pode reutilizá-las na próxima compra? Pense em três maneiras de reutilizar as sacolas plásticas e compartilhe com um amigo. Nós nos tornamos em uma sociedade “descartável”. Se algo para de funcionar, nós jogamos fora e compramos um novo. Estamos gerando muito lixo eletrônico, e isto está se tornando em um problema para o meio ambiente. Educação em gestão de resíduos em escolas, com crianças desenhando pôsteres, escrevendo ensaios, encenando um drama, e fazendo outras apresentações sobre a reciclagem. Como marca de operação, nossa frase é “Reduzir, Reutilizar, Reciclar, Recusar”. Algumas dioceses estão fornecendo plantas de biogás portáteis a todos os presbitérios – convertendo os resíduos de cozinha em combustível. Tem alguma coisa que você poderia consertar em vez de jogar fora? Considere isto, e, em fazê-lo, ajude a terra. Compartilhe suas experiências na revista ou site da igreja.

Conclusão

Nossa economia centrada no combustível fóssil, automóveis e descarte não é um modelo viável para o mundo. A alternativa é uma economia na energia solar/hidrogênio, um sistema de transporte urbano centrado no design de sistemas de transporte avançados sob trilhos e uma economia abrangente de reúso / reciclagem. As cidades precisam ser projetadas para pessoas, não para carros. Precisamos construir uma economia que apoiará, não enfraquecer, as futuras gerações. Apenas ao nos unirmos poderemos resolver a crise climática. Nossas igrejas são lugares excelentes para começar. Deus nos chama a sermos a mudança que desejamos ver. Engajemos esta disciplina espiritual, gratos por tudo, que Deus nos confiou, acreditando que com Deus tudo é possível. “Que é o que o Senhor pede de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a benignidade, e andes humildemente com o teu Deus?” Miqueias 6:8

Seu a serviço Dele,

Revmo. Thomas K Oommen

Moderador, Igreja do Sul da Índia (CSI)

Publicado originalmente em 08/02/2017 por Gordon Hudson no site Eco-Congregation Scotland.