Cristãos são convidados a participarem de jejum de carbono durante a Quaresma

O presidente da Rede Ambiental da Comunhão Anglicana – RACA (Anglican Communion Environmental Network – ACEN), Bispo da Suazilândia, Ellinah Wamukoya, está convidando todos a participarem do “jejum de carbono” durante a Quaresma – a examinar suas ações diárias e a refletir sobre como elas impactam no meio ambiente: “Nós somos da terra, nós somos pó, se a terra nos fez nascer, vamos tomar conta dela, e na Quaresma, as pessoas podem tomar pequenos passos para reduzir nossa pegada de carbono para garantir que a vida continue”, disse ele.

As campanhas de jejum de carbono são projetadas para que, durante a Quaresma, as pessoas possam realizar pequenos gestos que reduzam a produção de dióxido de carbono na esperança de ajudar o meio ambiente e a trazer o mundo a um passo mais próximo de uma existência sustentável. O grupo Green Anglicans produziu um guia com ações diárias para uso na Quaresma; desde comprar alimentos orgânicos a comer menos carne e desligar aparelhos eletrônicos da tomada, as ações diárias sugerem como ajudar a diminuir os impactos na criação de Deus. Ir de bicicleta ao trabalho, usar regadores em vez de irrigadores, reparar vazamentos de água em casa também estão no calendário do Green Anglicans, que pode ser visto ao final deste texto.

O Bispo Wamukoya e outros membros do ACEN que vivem em contextos distintos também escreveram meditações para uso nos domingos na Quaresma – relacionados, neste ano, a questão da justiça da água; e estão disponíveis em inglês, francês, espanhol e português, e foram produzidas em parceria com a Igreja da Trindade de Wall Street. Detalhes mais completos podem ser encontrados aqui.

O pedido do Bispo Wamukoya por um jejum de carbono foi ecoado pela Igreja do Sul da Índia (CSI), Green Anglicans e outros grupos. O moderador da CSI, Revmo. Thomas K. Oomen, escreveu uma carta convidando as pessoas a fazerem dos 40 dias da Quaresma uma época de arrependimento, reflexão e ação para diminuir os danos na criação de Deus.

“Um jejum de carbono é um desafio para nós observarmos nossas atitudes diárias e refletirmos como elas impactam no meio ambiente. Nos desafia a tomarmos pequenos passos – alguns dos quais reduzirão nossa produção de dióxido de carbono enquanto outros ajudarão o ambiente – por um mundo mais sustentável. No processo, talvez descobriremos um relacionamento diferente com Deus, com sua Criação e uns com os outros”, disse.

Na Índia, estamos cientes das mudanças climáticas pois nossas temperaturas estão mais quentes, com variações entre inundações e secas, e o aumento do nível do mar. Temperaturas mais quentes e o aumento do nível do mar não são coisas desejáveis pois elas têm impactos negativos na agricultura, pesca, desenvolvimento comunitário, plantas e animais que são importantes para nossos ecossistemas e protegem nosso litoral”.

Ele clama para que as pessoas formem grupos em suas igrejas que discutam os seguintes temas nas semanas da Quaresma: “simplificar nossas vidas / alimento e florestas / energia e transporte / conservação da água / reduzir, reutilizar, reciclar”.

Leia a carta do Moderador da Igreja do Sul da Índia.

Publicado em 10/02/2017 no site Anglican Communion News Service.

2017%20Quaresma%20-%20Jejum%20de%20carbono