Uma mensagem para Advento

“Que o Deus da esperança os encha de toda alegria e paz, por sua confiança nele, para que vocês transbordem de esperança, pelo poder do Espírito Santo.” Romanos 15:13

Há exatamente um ano atrás, na minha mensagem de Advento, eu citava que vivíamos uma conjuntura caótica. Um ano depois nos deparamos com uma situação ainda mais difícil. A sociedade brasileira avança cada vez mais no caminho da divisão política e no desmonte dos direitos dos trabalhadores, aposentados, mulheres, educação, sem falar na falta de perspectiva com relação ao futuro que só aponta dores para os mais pobres.

Parece até que Deus nos abandonou à própria sorte nestes caminhos tenebrosos. Vivemos como nos dias do Egito onde o povo de Israel clamavam do fundo do seu coração por justiça (Ex 2:23-25).

Mas Deus nunca fecha os ouvidos para o clamor do seu povo. Cansado de tanta injustiça, chama Moisés e lhe confere a missão de liderar o movimento de libertação (Ex 3:9-10).

O que sabemos depois de tudo isso é que, mesmo contra toda a conjuntura adversa, o povo saiu do Egito sob a mão poderosa de Deus para “a terra que mana leite e mel”.

Advento significa este tempo de espera da libertação. É um tempo de renovar a nossa confiança e escutar os anjos do Senhor que enviam seus sinais de esperança.

O Menino Deus é o sinal de que as coisas podem ser feitas novas sempre que permanecemos confiantes na promessa de um novo tempo. Tempo não necessariamente cronológico, mas que é tempo de Deus. Cabe à Igreja manter-se fiel ao seu propósito: denunciar as injustiças e proclamar as boas novas de libertação. Mais que nunca, devemos cantar as maravilhas de Deus que escuta os pobres e depõe os poderosos de seus tronos (Lc 2:51,52).

Desejo neste Advento que nossos irmãos e irmãs permaneçam firmes na paciência, esperança e coragem de semear as sementes do Reinado de Deus em nosso país. Que jamais se deixem levar pelo perigoso caminho da acomodação, ignorando valores aos quais estamos vinculados pela fé no nosso batismo. Mesmo em meio a tantos desafios para a missão, somos chamados a insistir, assim como Deus tem insistido conosco desde os primórdios tempos. Vigiar e orar é a regra áurea para que sintamos que a nossa luta não é em vão.

Que a espera do Menino Deus se converta em uma esperança como a dos profetas que antecipam com olhos da fé a realização plena do Reinado de Deus no meio do povo!

Abençoado Advento para todos e todas!

Francisco de Assis da Silva

Primaz da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil

Diocesano em Santa Maria

Publicado em 26/11/2016 pelo Serviço de Notícias da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (SNIEAB).