Grupo de Trabalho da Comunhão Anglicana realiza primeira reunião para “manter o diálogo”

Membros do Grupo de Trabalho do Arcebispo de Cantuária se unem no Escritório da Comunhão Anglicana em Londres para sua primeira reunião. Crédito da foto: ACNS

Membros do Grupo de Trabalho do Arcebispo de Cantuária se unem no Escritório da Comunhão Anglicana em Londres para sua primeira reunião. Crédito da foto: ACNS

O Grupo de Trabalho criado após o Encontro e Reunião dos Primazes em janeiro para “manter o diálogo” se encontrou pela primeira vez e salientou sua determinação de trabalharem juntos. Mas reconheceram que o processo pode levar tempo e não pode ser apressado.

Os Primazes pediram ao Arcebispo de Cantuária que o grupo fosse indicado para restaurar o relacionamento, reconstruir a confiança mútua, curar o legado das feridas e explorar as profundas diferenças. O Arcebispo Welby apresentou o mandato do grupo na reunião do Conselho Consultivo Anglicano de 2016 em Lusaka em abril, que então foi recebido e afirmado. Nesta semana, sete membros do grupo se encontraram em Londres. Um oitavo uniu-se via videoconferência.

“O que estamos tentando fazer aqui é refletir o que desejamos para toda a Comunhão”, disse o Bispo Coadjutor de Huron, Canadá, Revma. Linda Nicholls. “Estamos tentando praticar em nosso compromisso aqui uns com os outros aquilo que almejamos para a Comunhão em geral”.

O Arcebispo Ian Ernest, da Província do Oceano Índico, disse que o intercâmbio dentro do grupo foi franco e aberto.

“O que ficou muito claro é o nível de transparência que temos no grupo. Fomos capazes de nos abrir e falar abertamente sobre nossas diferenças”, disse ele. “Nós também reconhecemos a riqueza da Comunhão. E todos nós amamos nossa Comunhão – é isto que nos une”.

O moderador da Igreja do Bangladesh, Bispo Sarker, ecoou o mesmo tema. “Nossas culturas e experiências são muito diferentes, e nós expressamos nossa espiritualidade de maneiras diferentes, mas nós estamos caminhando adiante unidos”, disse.

Refletindo sobre a diversidade, a Cônega Rosemary Mbogo, Secretária Provincial da Igreja Anglicana do Quênia, disse que não há grupos dentro da Comunhão Anglicana cujas visões não serão escutadas.

“Isso é realmente necessário se nós falamos sobre cura e andarmos juntos em uma Comunhão unificada”, disse ela. A Cônega Rosemary acrescentou que ela está satisfeita com o progresso realizado.

“Tudo ocorreu bem. Nós cobrimos bastante terreno em entendermos cada um e as pessoas que representamos. Nós pudemos conhecer uns aos outros ao passarmos o tempo juntos. Definitivamente há esperança – estou convencida disto”.

O Arcebispo Ian concorda: “foi além de minhas expectativas”, disse.

O Secretário Geral da Comunhão Anglicana, Dr. Josiah Idowu-Fearon, disse que estava grato aos participantes pelos sacrifícios que fizeram para participarem da reunião. Ele congratulou os progressos feitos no diálogo.

“Estou verdadeiramente encorajado pela profunda confiança que começa a ser vista e também pela esperança expressada pelos participantes”, disse ele.

O Bispo Presidente da Igreja Episcopal, Michael Curry, reconheceu que encontrar soluções vai levar tempo.

“Reparos rápidos não são soluções de longo termo”, disse ele. “Soluções de longo termo precisam de trabalho de longo termo. Nós estamos falando de relacionamento. Você não começa ou renova ou cura relacionamentos do dia para a noite. Então, nós vamos levar o tempo que for preciso – mas nós vamos fazer isso”.

“Eu estava vindo para Londres antecipando e esperando que nós pudéssemos encontrar meios para genuinamente irmos mais fundo em nosso relacionamento com Jesus Cristo. Acredito que o mais próximo chegarmos de Deus em Cristo, mais próximo estaremos uns dos outros”.

Perguntado se ele sentia que foi feito progresso, o Bispo Curry respondeu, “Bem, nós estamos aqui e estamos fazendo isso!”

Ele lembrou de uma música spiritual de escravos dos Estados Unidos. “Nós apenas vamos continuar a avançar lentamente juntos, como uma lagarta. A sabedoria [da música] é que a lagarta continua indo adiante, devagar e firmemente. Não espera que as coisas aconteçam do dia para a noite… Nós estamos comprometidos dom a Igreja Anglicana. Nós acreditamos na importância da Comunhão para o bem do Evangelho e do mundo”.

O grupo ressaltou a importância da oração no trabalho que estão realizando.

“Nós nos comprometemos a orar uns para os outros”, disse o Arcebispo Philip Freier da Austrália. “Talvez haja a sensação de que isto é apenas uma ‘festa-conversa’. Mas esta [oração] é uma ação profunda e consistente com o tema”.

A Cônega Rosemary Mbogo concordou que a oração é o alicerce do trabalho do grupo e vital para conhecer a vontade de Deus e sua direção.

O Bispo Curry complementou, “Nosso tempo aqui foi imerso em orações. Isto sempre será a fórmula para um resultado melhor”.

O Arcebispo de Cantuária formalmente deu as boas-vindas ao grupo e orou por eles antes de que os diálogos começarem na terça-feira, dia 06 de setembro. Ele também participou da primeira parte do encontro, na qual ressaltou que não há uma agenda preestabelecida e que o grupo indicaria seu próprio presidente.

O Dr. Idowu-Fearon, hospedou o grupo e atuou como secretário. O grupo concordou que o posto de presidente seria rotativo entre seus membros. O nono membro do grupo, o Arcebispo Ng Moon Hing da Província do Sudeste Asiático não pode comparecer. O moderador da Igreja do Sul da Índia, Bispo Govada Dyvasirvadam, não participou devido a alegações que está enfrentado na Índia.

O grupo se encontrará anualmente com reuniões adicionais por meio eletrônico. A data da próxima reunião ainda precisa ser confirmada.

Texto escrito por Adrian Butcher, publicado em 08/09/2016 pelo Anglican Communion News Service.