Primaz convoca grupo de trabalho sobre gênero, sexualidades e direitos

No curso do processo recomendado pelo último Sínodo Ordinário de 2013, a IEAB tem realizado um exaustivo trabalho de reflexão sobre a temática de Gênero e Sexualidade, com vistas ao alcance do senso comum da Igreja em torno desta importante demanda pastoral. O Centro de Estudos Anglicanos (CEA) realizou um processo de Indabas nas regiões e concluiu o seu trabalho com uma síntese disponibilizada para toda a Igreja.

O Serviço Anglicano de Diaconia e Desenvolvimento (SADD)  realizou o mesmo processo, como metodologia específica de Diálogos nas regiões e, recentemente lançou uma revista sobre o tema.

De ambos processos se identificou uma visível lacuna dentro de nossa Igreja e, particularmente da base da Igreja, com relação à questão de teologia bíblica e hermenêutica das Sagradas Escrituras. Muito da resistência e do desconhecimento de fundamentação bíblica se deve a uma aproximação literal da Escritura e de um senso comum desprovido de um mais profundo conhecimento das construções literárias e perspectivas éticas sobre o tema.

Uma das recomendações construídas por ocasião do colóquio realizado pelo SADD no qual se lançou a Revista Sexualidades e Gênero, foi a criação de um GT que auxilie o Primaz e toda a Igreja a prosseguir na discussão do assunto nos níveis mais básicos de nossas dioceses e comunidades locais.

O Sínodo Extraordinário convocado para propor uma Nova Constituição e Cânones para a IEAB (16-19 de junho de 2016) discutiu pela primeira vez oficialmente em um Sínodo o casamento entre pessoas do mesmo sexo/LGBTI, numa matéria intitulada Cânon 39 “Do Santo Matrimônio” onde constava que “o matrimônio cristão é um pacto solene e público […] entre duas pessoas […]”. Por não ter chegado a um consenso durante a sessão, acabou permanecendo a  velha norma canônica (“homem” e “mulher”), e a matéria foi encaminhada para a Ordem de Negócios do próximo Sínodo Ordinário em Brasília (2017).

Levando-se em consideração o caminhar da Igreja até então, o Bispo Primaz nomeou um Grupo de Trabalho (GT) de biblistas e teólogos (as) para cumprir um importante papel de construir subsídios de teologia bíblica e pastoral, a partir da produção do CEA e do SADD, que ajude a Igreja como um todo (especialmente na sua base) a prosseguir na busca de uma compreensão mais aprofundada em torno desta importante demanda até o Sínodo Ordinário. As reuniões irão ocorrer à princípio através do skype para acertos de cronograma de trabalho e estarão em estreito contato com o Bispo Primaz.

O GT  integram as seguintes pessoas:

  • Dom Humberto Maiztegui – Diocese Meridional
  • Dr. Paulo Ueti Barasioli – Diocese Anglicana de São Paulo
  • Dra. Ana Claudia Figueroa – Assessora do SADD
  • Dra Bianca Daebs Seixas Almeida – Diocese Anglicana do Recife
  • Rev. Dr. Gustavo Gilson – Diocese Anglicana do Recife
  • Rev. Dr. Pedro Triana – Diocese Anglicana de São Paulo

Rogamos a Deus iluminação ao GT na condução deste delicado tema que entrou definitivamente na Agenda do Sínodo da IEAB.

Publicado em 30/06/2016 pelo Serviço de Notícias da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil.