Pensando sobre ordenação? Pense novamente

PadreCara pessoa que sente o chamado a se tornar um pastor,

Se você está seriamente considerando em se tornar em um pastor, pense novamente.

Entrar neste ministério se tornará em uma das coisas mais difíceis que você jamais fez. Você está se inscrevendo para a possibilidade de trabalhar incríveis longas horas e precisará desenvolver e manter limites seguros para você e para sua comunidade. Se tiver sorte, você será pago. Se realmente tiver sorte, você será pago o suficiente para sustentar a você e a sua família (se você tiver uma). Você terá que gerir expectativas irreais em todas as direções, inclusive internas, e você terá que dizer “não” algumas vezes. Você encontrará personalidades incrivelmente difíceis que projetarão em você todas as queixas que tiverem com relação a Deus. Você pensará em desistir uma vez por mês e em algum momento isto será uma consideração semanal. Você encontrará o lado sombrio da Igreja – o lugar no qual sexismo, classismo, racismo, homofobia, e as fraquezas humanas em geral se escondem (em vários graus diferentes dependendo de onde você servir). Você será tentado a julgar a vulnerabilidade e teimosia sobre a conversão. Você terá sua força e paciência testada muito além do que qualquer coisa que já enfrentou. Você terá o botão de sua mais profunda insegurança pressionado várias vezes. Você se sentirá insignificante pelo tamanho de tudo isso. Algumas vezes você sentirá um profundo sentimento de solidão. Você terá amigos que se afastarão… e isso machucará. Você desapontará pessoas. Você se desapontará. Você se sentirá constrangido pelos votos que tomou para si. Você dará sua vida para isso e imaginará se isso fará alguma diferença. Você encontrará uma dor indescritível e derramará muitas lágrimas.

Se você está considerando a ordenação como pastor, pense novamente…

…e então, pelo amor de Deus, diga “sim”.

Talvez vejamos a humanidade, e até nós mesmos, em nosso pior, mas também poderemos ver Deus em seu melhor absoluto. Claro, há grandes dificuldades pela frente e nenhum tempo no seminário ou orientação pode preparar para a maior parte das coisas, mas você também entrará para a bela jornada com Deus na qual todo momento de dificuldade é acompanhado pela graça de Deus. Você entrará em uma vocação na qual o próprios fundamento de seu chamado é confiar na força de Deus para navegar nas dificuldades dos relacionamentos, encontros pastorais desoladores, restrições orçamentárias, angústia geral e ansiedade, e sua própria alma cansada. Apenas quando você alcançou o fim de suas forças, a força de Deus toma o lugar. A força de Deus se aperfeiçoa em nossa própria fraqueza.

No fim do dia, Deus não nos chama por termos sido maravilhosos, ou espertos, ou dotados, ou valiosos. A ordenação de padres, pastores e reverendos não é algo sobre nós. É sobre refletir a imagem de Cristo em nossas próprias comunidades de maneira a dar o testemunho do poder e amor de Deus no meio de nós. Nós somos chamados a amar todos os que encontramos – aqueles que nos amam, aqueles que nos odeiam, e aqueles que são indiferentes à nossa presença. Tudo enquanto indicamos para além de nós mesmos para Deus, por quem são todas as jornadas.

O papel do padre, pastor e reverendo é modelar para o que cada cristão é chamado – uma vida de entrega total. Como Pedro, nós iremos a lugares que nunca quisermos ir. Como Paulo, seremos modificados de maneira dramática. Como o próprio Jesus, carregaremos uma cruz que nos fará tropeçar. Esse ministério é uma cruz que deixa suas marcas redentoras em nossos ombros enquanto seguimos o caminho do peregrino para a salvação e vida abundante, e a graça de Deus é suficiente até mesmo em nossos tropeços.

A vida ordenada é uma vida bela, uma de grandes desafios e de grande alegria, e poderemos ver ambos, de perto e pessoalmente.

Se você está considerando sua ordenação como pastor, considere cuidadosamente. Como o homem que constrói uma torre ou o rei que lidera um exército, considere o custo.

E então diga sim para Deus, que o chama e promete acompanhá-lo até mesmo nos lugares mais sombrios.

Talvez você não consiga fazer isso. Mas não tem problema. Pois Deus pode.

Publicado originalmente por Father Marcus em 09/06/2016 no blog “Black and White and in Living Color”.