Caminhando juntos a serviço de Deus no mundo

Comunicado do Encontro de Primazes, Catedral de Cantuária, Inglaterra. 11 a 15 de janeiro de 2016.

A reunião dos Primazes Anglicanos, os bispos sêniores das 38 províncias anglicanas, unidos ao Arcebispo da Igreja Anglicana da América do Norte, aconteceu em Cantuária entre segunda-feira, 11 de janeiro, e sexta-feira, 15 de janeiro, por convite de Justin Welby, Arcebispo de Cantuária. A primeira manhã foi passada em oração e jejum.

Nós viemos sabendo que a reunião de primazes de 2016 se preocuparia com as diferenças entre nós com relação a nossos ensinamentos na questão da sexualidade humana. Nós também estávamos ansiosos a abordar outras áreas amplas de preocupação.

O encontro teve início ao se concordar com a agenda. O primeiro item acordado foi a discussão um ponto importante de controvérsia entre os anglicanos globalmente: a recente mudança na doutrina do casamento pela Igreja Episcopal dos Estados Unidos.

Durante a última semana, a decisão unânime dos primazes foi de caminharem juntos, por mais dolorosos que isto possa ser, e apesar de nossas diferenças, como uma profunda expressão de nossa unidade no corpo de Cristo. Buscamos ver o que isto significa em termos práticos.

Nós recebemos a recomendação de um grupo de trabalho de nossos membros, os quais tiveram a tarefa de ver como nossa Comunhão Anglicana de Igrejas poderia caminhar junta e nossa unidade ser fortalecida. Seu trabalho, consistente com a declaração anterior do encontro de primazes, abordou quais consequências seguiram para a Igreja Episcopal em relação a Comunhão Anglicana após a recente mudança na doutrina do casamento. As recomendações nos parágrafos 7 e 8 do adendo são:

“É nosso unânime desejo de caminhar juntos. No entanto, dada a seriedade destas questões, nós formalmente reconhecemos esta distância ao requerer que por um período de três anos, a Igreja Episcopal não mais nos represente em organismos ecumênicos e interconfessionais, não podendo ser indicada ou eleita para uma comissão interna permanente, e quando participar de organismos internos da Comunhão Anglicana, não poderá tomar parte do processo decisório ou de qualquer outra questão relativa à doutrina e política”.

“Solicitamos que o Arcebispo de Cantuária indicasse um Grupo de Trabalho para manter o diálogo entre nós com a intenção de restaurar nosso relacionamento, com a reconstrução da confiança recíproca, curando o legado de dor, reconhecendo a extensão de nossa comunalidade e explorando nossas profundas diferenças, garantindo que eles serão mantidos entre nós no amor e graça de Cristo”.

Estas recomendações foram adotadas pela maioria dos primazes presentes.

Nós desenvolveremos este processo para que este possa ser aplicado quando sejam tomadas quaisquer decisões unilateral em questões de doutrina e política que ameacem nossa unidade.

Os primazes condenam o preconceito e violência homofóbica e resolvem trabalhar unidos para oferecerem cuidado pastoral e serviço amoroso independente da orientação sexual. Esta convicção surge de nosso discipulado de Jesus Cristo, Os primazes reafirmam sua rejeição de sanções criminais contra pessoas atraídas pelo mesmo sexo.

Os primazes reconhecem que a igreja cristã e dentro dela a Comunhão Anglicana muitas vezes agiu de uma maneira com as pessoas tendo base sua orientação sexual, e isto causou profunda dor. Onde isto tenha acontecido, eles expressam seu profundo pesar e afirmam novamente que o amor de Deus é por todo ser humano é o mesmo, independente de sua sexualidade, e que a igreja nunca deveria, por suas ações, dar outra impressão.

Afirmamos a consulta que ocorreu para a preparação desta reunião pelo Arcebispo Welby e elogiamos sua abordagem para eventos futuros dentro da Comunhão.

A consideração da aplicação requerida para a admissão de membresia da Comunhão Anglicana pela Igreja Anglicana da América do Norte foi reconhecida como devidamente pertencente ao Conselho Consultivo Anglicano. Os primazes reconheceram que tal aplicação, caso siga adiante, levantaria questões significativas de política e jurisdição.

Na sequência da conferência sobre mudança climática em Paris no mês passado, o encontro escutou sobre uma petição de quase dois milhões de assinaturas coordenada pela Rede Ambiental Anglicana (Anglican Environment Network). Relatórios foram feitos sobre os movimentos de alienação dos combustíveis fósseis, a expansão dos desertos africanos e a luta pela sobrevivência dos povos do Pacífico enquanto a vida nas ilhas são ameaçadas em muitos lugares pelo aumento do nível do mar.

A reunião discutiu a realidade da violência religiosamente motivada e seu impacto nas pessoas e comunidades no mundo. Os primazes que vivem em lugares nos quais a violência é uma realidade diária falaram de maneira comovente e apaixonada sobre suas circunstâncias e os efeitos em sua membresia. O próprio Arcebispo de Cantuária tomou importantes iniciativas em unir as pessoas de uma variedade de comunidades de fé globalmente para a discussão e responsabilidade mútua. Os primazes anglicanos repudiam qualquer violência religiosamente motivada e expressam solidariedade com todos aqueles que sofrem deste mal no mundo de hoje.

Os primazes aguardam que a proposta trazida pelo Comitê Consultivo Anglicano para medidas abrangentes de proteção às crianças esteja disponível em todas as igrejas da Comunhão.

Em uma apresentação sobre evangelização, os primazes rejubilaram que a Igreja de Jesus Cristo vive para testemunhar o poder transformador do amor de Deus em Jesus Cristo. Os primazes energizaram-se pela oportunidade de compartilhar experiências de evangelização e motivaram-se a evangelizar o seu povo.

“Os primazes alegremente comprometem a si mesmos e a Igreja Anglicana, a proclamar pelo mundo a pessoa e o trabalho de Jesus Cristo, incessantemente e autenticamente, convidando a todos a abraçarem a beleza e alegria do Evangelho”.

Os primazes apoiam o Arcebispo de Cantuária em sua proposta de convocar a Conferência de Lambeth para 2020.

Os primazes discutiram o tribalismo, etnicidade, nacionalismo e redes de patronagem, e o profundo mal da corrupção. Eles refletiram que tais questões se tornam intrinsecamente conectadas à guerra e violência, e derivam da pobreza. Eles concordaram em pedir ao Secretário-Geral da Comunhão Anglicana a comissionar um estudo para a próxima reunião de primazes. Os primazes concordaram em se encontrar novamente em 2017 e 2019.

Os primazes têm uma dívida de gratidão aos funcionários do Escritório da Comunhão Anglicana, e especialmente ao Secretário-Geral, à equipe do Palácio de Lambeth e à Church House Westminster. Os primazes ficaram especialmente agradecidos pela calorosa recepção, generosa hospitalidade e gentileza oferecida pelo Deão de Cantuária e sua Catedral. Suas contribuições foram muito importantes em definir o humor do encontro em oração e escuta mútua. Obrigado à Comunidade de Santo Anselmo por suas orações, ajuda e apoio, Jean Vanier por suas palestras inspiradoras, e à Comunidade de São Gregório pelo empréstimo da cabeça do báculo que ficou ao lado dos Evangelhos de Santo Agostinho.

Os Primazes receberam o seu tempo juntos como uma bênção de Deus e experimentaram muitos sinais da presença de Deus entre nós. Eles apreciaram o cuidado pessoal e humildade mostrada pelo Arcebispo de Cantuária, especialmente em sua presidência da reunião. Nós terminamos nossa semana juntos enriquecidos pela comunhão que compartilhamos e fortalecidos pelo fiel testemunho dos anglicanos pelo mundo. Os primazes agradecem profundamente as orações de muitos pelo mundo enquanto estiveram juntos.

Publicado no site Anglican Communion News Service em 15/01/2016.